terça-feira, 28 de junho de 2011

Passeio em São Paulo

Foi muito boa essa viagem, por diversos motivos, embora gostaria de ter tido mais tempo para fazer mais passeios culturais, como ir a teatros por exemplo. Foram poucos dias, mas valeu a pena sair da rotina.



Fachada lateral do MASP na Av. Paulista.


São Paulo é uma cidade que não pára nunca e aproveitei para andar bastante e conhecer os pólos de confecções tão conhecidos e falados aqui no Brasil, como os bairros do Braz, Bom Retiro e a famosa rua 25 de Março. Existe de tudo um pouco, todos os tipos de preços e facilidades para comprar, confecções de baixa, média e alta qualidade e para todos os tipos de gostos. Me aconselharam a não levar a máquina fotográfica para essas ruas e em tempos difíceis é bom não facilitar, então as fotos dos bairros são da net.

O bairro do Brás concentra grandes fábricas têxteis e muitas lojas que vendem por atacado e varejo. Além de roupas, também tem cintos, bolsas, sapatos, meias, bijuterias e artigos para quem deseja montar lojas, como cabides, araras, etc. Assim que desce da Estação de trem e metrô do Brás, atravessa essa praça.


Largo da Concórdia – Brás - Foto net




No bairro do Bom Retiro as lojas vendem mais por atacado e determinam quantidade de peças e estipulam valores. Não sei, mas me deu a impressão que a maioria das lojas vendiam um produto só, as vitrines quase todas com as mesmas peças. E também tem muitas lojas voltadas para moda festa. Desce na Estação da Luz, anda um pouquinho e já é o começo da rua José Paulino, a principal do bairro.



Bom Retiro - foto Rudiwadi, flickr



Aproveitei para ir no Museu da Língua Portuguesa, que fica num espaço da Estação da Luz. Vale a pena conferir como nasceu nossa língua com as influências das línguas de outros povos.



A rua 25 de março que tem lojas de todo tipo, de tecidos, armarinhos, brinquedos, produtos para festas, lojas de bijuterias e maquiagens. Também voltadas para lojistas, a maioria só vende em atacado. É muita gente do Brasil inteiro e de outras nacionalidades pra lá e pra cá, comprando para abastecerem suas lojas.

Rua 25 de março – foto net1


O principal motivo da viagem foi visitar o Salão Moda Brasil para lingerie, a convite de Alessandra da By Sander, que estuda moda comigo, para conferir os últimos lançamentos em tecidos e aviamentos, cada coisa linda! Nos acompanhando também estava Elen do Ateliê Dona Carlota.


Outro excelente motivo...conhecer Kátia, a vencedora do sorteio que fiz para comemorar um ano de blog, uma pessoa linda, preciso falar mais?
Adorei o passeio e voltarei assim que puder, digo logo! Quer ir comigo?

sábado, 11 de junho de 2011

Como pregar elástico

Pregar elástico numa calça ou em qualquer outra peça é mais fácil do que você imagina, mesmo para quem não tem máquina industrial. Primeiro você tem que medir a cintura, para que fique numa medida confortável, é em média 25% a menos da medida total para tecido plano.Essa média tirei deste site. Mas isso também pode depender da qualidade do elástico.



Feche as bordas do elástico com uma costura.

Guiando-se pela costura do elástico, dobre e marque com um lápis os outros três lados que vão ficar em cima das costuras.

Prenda o elástico pelas marcas com alfinetes nas quatro costuras, a costura de união do elástico fica no centro das costas.

Prenda o elástico, mesmo que você não tenha overloque, a máquina de zig zag com ponto grande faz isso perfeitamente.

Depois do elástico pregado, se você não tem muita prática faça uma costura na borda para firmá-lo, isso facilitará o processo evitando que ele dobre ou o tecido fique fofando.

Fica assim pelo lado direito. Ah , esqueci de dizer, antes de pregar o elástico, faça a casa para a passagem do cordão de ajuste.



Agora é só dobrar e costurar.

Vire e pelo direito, passe a costura com medida de meia sapata.

Passe a segunda costura, também com a mesma medida. Costumo colocar essa medida porque sempre deixo espaço para o cordão de ajuste. Se não quiser com esse espaço, complemente com mais costuras.

Prontinho! Gostou desse tutorial? Bem simples, não está?

Foi só para você fazer bermudinhas e shortinhos pra quem você ama!

Beijo!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

VESTIDO XADREZ - VE/003

Acho que já deu pra perceber que tenho um estilo mais clássico e apesar de apreciar a moda, não costumo segui-la muito. Faço ou compro apenas o que gosto e acho que combina comigo. Esse tecido eu tinha comprado há mais ou menos um ano pra fazer uma calça, mas recebi uma encomenda com urgência de uma calça xadrez infantil que pelo prazo que tinha não daria tempo ir ao centro comprar, confeccionar e enviar pelos correios para chegar a tempo. Além do que os tecidos encontrados no mercado nessa época são aqueles usados para as festas de São João. Aí o que sobrou só deu pra fazer esse vestido, que por sinal já tenho três desse modelo, é básico e nunca sai de moda. Você pode mudar o look usando com cinto, com blazer, mudar o tipo de sapatos. Enfim, ele permite uma infinidade de mudanças.



O que quero mostrar nessa postagem é como cortar no tecido xadrez, para que os desenhos dos fios casem nas costuras. Costumo dobrar as ourelas para que fiquem na marca da dobra e ao colocar a modelagem em cima observar para que as barras fiquem na mesma linha. É claro que podem ser cortadas uma de cada vez, até economizaria mais pano. Mas preste bem atenção em qualquer peça xadrez alinhe sempre pela bainha.






Uma das dificuldades do xadrez numa linha de produção grande é justamente essa. A maioria das peças desse tipo de estampa em lojas de departamento não casam, você já viu? Mas tudo bem, isso não significa que não podem ser lindas, não é?
Depois de cortado.


Observe as costuras laterais e centrais das costas.

O avesso.

 Mas você também pode encomendar o vestido! E aí gostou? 

Beijos!